O Código Da Vinci

Imagem: SETIMODIA, 2009

Por Weverlin Ferreira Brizola

Livro: O Código Da Vinci

Autor: Dan Brown

Ano de publicação: 2003

Editora: Random House nos EUA, e Editora Arqueiro no Brasil

Referência: BROWN, Dan. O Código DaVinci. Tradução de Mário Dias Correira. São Paulo: Arqueiro, 2012.

Um dos principais motivos para a escolha de “O Código Da Vinci” foi o fato de já ter lido e por meio dele busquei ler outros livros sobre os cavaleiros templários, ou seja, já estava familiarizada com o assunto e há tempos queria relê-lo. Com o uso do Kindle, leitor de livros digitais, iniciei a leitura do livro. Uma leitura com descobertas e controversas sobre o catolicismo, do renomado escritor Dan Brown.

A adaptação à ferramenta Kindle desde o início foi algo muito difícil, sobretudo pelas funções que a mesma oferece e o meu costume com o livro físico, e isso ocorre até mesmo com os textos da faculdade, não conseguia ler no formato PDF. Entretanto é uma ferramenta muito compacta e bastante conteúdo, além disse oferece também a opção de inserir arquivos pelo e-mail, pela Amazon e pela plataforma Calibre.

O best-seller de Dan Brown prende do começo ao fim com a revelação de Jacques Saunière, curador do museu do Louvre e membro da sociedade secreta Priorado de Sião, e resolução dos enigmas deixados pelo mesmo. Com isso, busco através deste breve texto, apresentar os pontos de maiores destaque nessa história.

O e-book constituído por 531 páginas divididas em 105 capítulos, apresenta a história de Robert Langdon, um professor de simbologia religiosa da Universidade de Harvard, reconhecido principalmente por seus livros que estudam a representatividade e influências de diversos símbolos e objetos sobre a humanidade. Inicialmente, Langdon está em Paris, e esperava encontrar Jacques, entretanto o mesmo não apareceu, e algumas horas depois, em que já estava no seu recinto a polícia francesa entra em contato com o mesmo, solicitando seu trabalho como simbolista para desvendar o ocorrido.

O assassinato ocorreu no museu do Louvre, e ao chegar ao local, Langdon conhece Sophie Neveu, criptologista do Departamento de Polícia Judiciária Francesa e também neta de Jacques. Juntos descobrem pistas que podem solucionar o caso, levando-os ao ao mistério do paradeiro do Santo Graal em um história cheia de tramas e reviravoltas os colocarão em contato com antigas historias que envolvem desde o Priorado de Sião a até a própria linhagem de Jesus Cristo, passando também por mensagens deixadas por Leonardo Da Vinci e Isaac Newton.

Durante a investigação, os quadros de Da Vinci, como A Última Ceia e Mona Lisa, possuem mensagens ocultas e que revelam a existência do Santo Graal. E através deles e das pistas deixadas por Jacques dentro e fora do Louvre, como por exemplo, a Abadia de Westminster. Langdon e Sophie solucionam o caso e a mesma também explica o motivo de seu distanciamento com o avô que a ligou na noite do assassinato.

Em minha opinião, acredito que a obra tenha muito a apresentar a respeito das controversas, e que outros livros de Dan Brown seguem esse mesmo parâmetro, além de cativarem desde o início com e a forma que os fatos são apresentados, e muitas vezes inesperados. Eu realizei a primeira leitura com 16 anos. Acredito ser uma idade boa para a leitura de histórias como essa que instiga você a buscar saber mais sobre tudo que é discorrido no livro.

Concluindo, vou falar um mais sobre Dan Brown. Nascido em Exeter, no estado de New Hampshire, Brown é o mais velho entre seus três irmãos. Seu pai era professor de matemática na Phillips Exeter Academy, onde Dan Brown concluiu seus estudos, e logo após entrou para a Amherst College, em que no seu primeiro anos foi à Europa para estudar a História da Arte, em Sevilha, Espanha. Através disso, passou a estudar os trabalhos de Leonardo DaVinci, presente em seus romances.  Suas  obras são: Origem (2017), Inferno (2013), O Símbolo Perdido (2009), Fortaleza Digital (2006), Anjos e Demônios (2005), A Conspiração (2005) e O Código Da Vinci (2004).

Weverlin Ferreira Brizola é acadêmica do curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: